quinta-feira, agosto 25, 2011

Viver nunca foi fácil...

Eu sei que minha mudança para o Canadá dentro de uma semana não justifica minha ausência por aqui nos últimos (quase) 2 meses. Minha frequência aqui foi bem esporádica, mas, nesses últimos dois meses não tive muita inspiração nem entusiasmo para dedicar à esse espaço. Deixei passar momentos que deveria ter pego um pedaço de papel qualquer e uma caneta aleatória para passar pensamentos de um para o outro. Mas esse coração anda, há muito, tentando suportar cargas que vieram e preparando-se para as que virão. E esse punhos que não descansam da luta andam deveras gastos e rudes para o um ato tão carinhoso quanto a escrita.
Quem sabe, esses novos horizontes não aqueçam novamente esse peito cheio de cinzas? E dão forças para estas mãos tornarem visíveis os meus sonhos e incertezas?
Por hora, minhas palavras calam-se por aqui. Contudo, deixo-lhes a canção a seguir, que diz muito do que eu sinto e diria aos ouvidos teus, como prova de que isso não é, de fato, um adeus...

"Viver nunca foi fácil."


Sem Rumo

Vejo de uma bolha/ Como as coisas se confundem
Nessa vida tudo pode/ Se mentiras nos iludem
Se a verdade aumenta os preços/ Dessa venda de atitudes
Eu só quero disfarçar/ Os meus defeitos de virtudes

Nas cidades onde tudo cruza/ O passado e o futuro não são mais rotas seguras
E as pessoas foram muito fundo/ Procurando no esgoto algum lugar pra si no mundo

Viver
Viver nunca foi fácil

Os fatos são injustos/ Para tudo e para todos
Eu até levantaria/ Mas perdi meus pés no lodo
Sabia dos limites/ E quis ser subversivo
Mas gritei para as janelas/ Já fechadas de adesivos

E nas cidades onde tudo muda/ O passado e o futuro nos faróis pedindo ajuda
E as pessoas seguem seus caminhos/ Procriando como monstros, conformados e sozinhos

Viver
Viver nunca foi fácil



Um comentário: