quarta-feira, março 07, 2012

Sua vida é um outdoor que ninguém entende.

Nesse livro não tem história.
Só um corpo parado.
Olhando pela janela.
Com inveja dos pombos quando eles somem de vista.
Nesse livro não tem fim.
Ninguém é salvo.
E falta alguma coisa.
Sempre falta.
Alice suspira.
Me sinto mal.
(...)
Tadinha...
(...)
Deito e abraço seu corpo quente.
O cheiro que tanto adoro.
Ela pergunta o que eu tenho.
Na verdade eu não sei.
Porque nesse livro não tem nada pra mim.
Os funerais do Coelho Branco.