quarta-feira, maio 30, 2012

Pássaros mortos e sombras voadoras


Tenho me sentido cada vez mais perdido.
As velhas coisas do passado nao me agradam mais, porém, nao sei dizer se evoluí.
É como se Montag nunca tivesse encontrado Clarisse e continuado a queimar os livros.
Os formatos nao se encaixam.
Anacronia.
Algernon se foi. Charlie voltou ao que era.
E eu voltei a narrar histórias alheias para ilustrar a minha própria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário